Empresas públicas investem 163 milhões de euros em empresas de segurança em 2020

Notícias

Em 2020, o Estado português investiu cerca de 163 milhões de euros em empresas de segurança. A vigilância humana e a segurança de instalações foram os principais serviços subcontratados às empresas de segurança em Portugal.

As primeiras 10 empresas registam globalmente um total de 149.083.628,10 euros em contratos celebrados com entidades públicas, concentrando 91.33% do total. Já as cinco primeiras empresas concentram 65%, o que corresponde a 106.601.911,1 euros.

pub


De acordo com os números consultados pela Security Magazine, os concursos públicos renderam às empresas de segurança, registadas no Sistema Integrado de Gestão de Segurança Privada, 163 milhões de euros em 2020. Os valores reflectem os contratos disponibilizados pela plataforma de compras públicas durante o último ano.

Ao todo foram registados 1053 contratos de prestação de serviços com um total de 57 empresas de segurança (num universo de 83 registadas no SIGESP). Os serviços de vigilância humana e segurança das instalações públicas foram os serviços mais procurados ao longo do último ano.

Importa salientar que o contrato de prestação de serviços de vigilância e segurança celebrado entre a Infraestruturas de Portugal e as empresas PSG e o consórcio Delta Force/COPS para  Aquisição de Serviços de Vigilância e Segurança Humana das Instalações do Grupo IP – 2020/2022 – Lotes A e B no total de cerca de 21 milhões de euros.

Em termos globais, a Prestibel facturou o maior valor pela soma dos 140 contratos de prestação de serviços celebrados com as instituições públicas, com perto de 30 milhões de euros. Já a PSG, na segunda posição, contou com 68 contratos celebrados num valor total de 26 milhões de euros, seguida pelo consórcio Delta Force/COPS  com perto de 18 milhões de euros e 14 contratos assinados.

As cinco primeiras empresas contam com um total de 477 contratos, o que corresponde a 45,3% do total de contratos adjudicados.

Notícia actualizada a 17 de Janeiro com maior contrato registado em 2020.

Aceder ao relatório completo