megatendencias

Reino Unido apresenta National Cyber Force

Cibersegurança Notícias

O governo do Reino Unido oficializou, recentemente, a sua unidade ofensiva de operações cibernéticas. A National Cyber Force, assim denominada, destina-se a “desorganizar” eventuais adversários britânicos no ciberespaço.

Num discurso sobre as despesas com a defesa, o PM inglês declarou a parceria entre a GCHQ e o Ministério da Defesa (MoD) que está a conduzir operações cibernéticas para perturbar as actividades hostis do Estado, terroristas e criminosos que ameaçam a segurança nacional do Reino Unido – desde o combate a conspirações terroristas até ao apoio a operações militares. Trabalhando em conjunto com o NCSC – uma parte do GCHQ – que protege a pátria digital, o NCF desempenha um papel vital no reforço do poder cibernético do Reino Unido, líder mundial e responsável.

A NCF reúne, pela primeira vez, pessoal dos serviços secretos, da agência GCHQ, do MoD, do Serviço Secreto de Informações (MI6) e do Laboratório de Ciência e Tecnologia de Defesa (Dstl) sob um comando unificado. A par dos conhecimentos operacionais do MoD, das capacidades científicas e técnicas do Dstl e da inteligência global do GCHQ, o SIS (MI6) fornece os seus conhecimentos especializados no recrutamento e gestão de agentes, juntamente com a sua capacidade única de fornecer tecnologia operacional clandestina.

Utilizados a par das capacidades diplomáticas, económicas, políticas e militares, os exemplos de operações cibernéticas poderiam incluir:

  • interferir com um telemóvel para impedir que um terrorista possa comunicar com os seus contactos;
  • ajudar a impedir que a Internet seja utilizada como plataforma global para crimes graves, incluindo o abuso sexual de crianças e a fraude; e
  • manter os aviões militares britânicos a salvo de ataques por sistemas de armas hostis.

“Há pouco mais de 100 anos, criámos uma nova força para defender o Reino Unido das ameaças num novo domínio – o ar. O anúncio de hoje da formação da Força Cibernética Nacional para defender o Reino Unido no ciberespaço é um marco semelhante e o imperativo é igualmente vital porque o ciberespaço é o domínio mais disputado onde os nossos adversários e os nossos aliados se irão encontrar durante a próxima década e para além dela”, avança o Governo britânico.

O que distingue a NCF reside na parceria entre o Comando Estratégico, GCHQ e SIS, misturando as forças e culturas para criar esta força operacionalmente distinta.